Topo

BBB: ministra pede ‘providências’ ao MP do Rio

Josias de Souza

16/01/2012 21h05

A ministra Iriny Lopes (Política para as Mulheres) enviou um ofício ao Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro. Na peça, remetida na tarde desta segunda (16), pede que sejam adotadas as "providências cabíveis" para esclarecer a suspeita de estupro no BBB 12.

O caso surgiu na madrugada de domingo. Cenas levadas à web açularam a suspeita de que Daniel, um dos participantes do reality show da TV Globo, teria mantido relações sexuais não-consentidas com outra personagem do programa, Monique.

No vídeo, Monique parece estar desacordada. Só Daniel se movimenta sob o edredom. Em nota divulgada na página eletrônica da Secretaria de Políticas para as Mulheres, pasta que pende do organograma da Presidênca, informa-se o porquê do pedido da ministra.

Atribuiu-se a providência a solicitações externas: "O ofício foi elaborado com base em demandas encaminhadas por cidadãs de várias cidades brasileiras à Ouvidoria da Secretaria de Políticas para Mulheres, pedindo providências."

O texto não informa a origem dos pedidos. Tampouco menciona a quantidade. Anota que a secretaria "tomou conhecimento de que a Polícia Civil do Rio já se mobilizou em torno do caso".

De fato, a polícia abriu nesta segunda um inquérito. Vai-se apurar a suspeita de abuso sexual. Monique foi chamada pela produção do BBB a um recinto batizado de "confessionário". Inquirida, disse não se lembrar de ter mantido relações sexuais com Daniel.

O áudio da inquirição de Monique vazou na rede. Não é possível ouvir as perguntas. Mas as respostas soam claras. Quem ouve conclui: se houve sexo, não foi consentido. "Só se ele foi muito mau caráter de ter feito comigo dormindo", diz ela a certa altura.

– Atualização feita às 23h07 desta segunda (16): A Globo decidiu excluir Daniel do BBB. Por quê? "Grave comportamento inadequado". Na abertura do programa desta segunda-feira, Pedro Bial comunicou a novidade laconicamente. Nenhum detalhe. Nada acerca do ocorrera sob o edredom. Nenhuma palavra com os outros participantes do programa. Transparência zero. A julgar pela edição exibida na véspera, imaginava-se na Globo que seria possível fingir que nada sucedera. Entre a passividade e o cavalo-de-pau, o bumbo da internet e uma visita da polícia levaram o BBB ao paredão.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.