PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

Custos das obras do São Francisco sobem 71%

Josias de Souza

23/03/2012 06h15

Fora do prazo e com trechos paralisados, o projeto da transposição das águas do rio São Francisco vai sair mais caro do que o previsto. Sob Dilma Rousseff, os custos da obra ficaram 71% mais salgados.

Deve-se a informação à repórter Marta Salomon. Ela conta que, quando Dilma tomou posse, o empreendimento estava orçado em R$ 4,8 bilhões. Hoje, trabalha-se com a cifra de R$ 8,2 bilhões. Um salto de R$ 3,4 bilhões.

Os preços foram ao elevador sob a alegação de que foi necessário renegociar os contratos com as construtoras. Por quê? Escoravam-se em projetos básicos, mal planejados. Iniciadas as obras, revelaram-se precários.

O governo vê-se compelido agora a fazer novas licitações. Ou paga mais ou as empreiteiras fecham os canteiros da obra. Se o antecessor de Dilma fosse um tucano, o ministro Fernando Bezerra (Integração Nacional) decerto gritaria: "Herança maldita!"

No papel de gerente da transposição, Bezerra está, porém, condenado ao silêncio perpétuo. Ocupa o ministério por indicação de Eduardo Campos, governador de Pernambuco e presidente do PSB federal.

Gerencia uma obra iniciada sob Lula, em 2007. Nessa época, comandava a Integração Nacional Ciro Gomes, do mesmo PSB. Considenrado-se a rivalidade de Ciro com seu padrinho Eduardo, Bezerra até poderia ficar tentado a atirar para trás.

O diabo é que os projetos mal feitos não passaram apenas pela mesa de Ciro. Aprovou-os também Dilma Rousseff, à época chefe da Casa Civil e mandachuva do comitê gestor das obras do PAC. Assim, não resta a Bezerra senão espetar a nova conta no bolso do contribuinte em silêncio.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.