PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

Belo Horizonte: PT rompe com PSB de Lacerda

Josias de Souza

30/06/2012 20h35

PT pula para fora da reedição da aliança que unira Pimentel e Aécio ao redor de Lacerda em 2008

Parecia que tudo estava acertado. O prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB) disputaria a reeleição com o apoio do PT do ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento) e do PSDB do senador Aécio Neves. Súbito, produziu-se uma reviravolta.

Em convenção realizada neste sábado (30), o PSB confirmou a recandidatura de Lacerda. Mas o PT roeu a corda. Na última hora, o diretório municipal da legenda de Pimentel decidiu lançar um candidato próprio.

Pior: escolheu para medir forças com Lacerda um desafeto dele: o atual vice prefeito da capital mineira. Chama-se Roberto Carvalho. Emboa coabite a administração com o prefeito, está brigado com ele.

A meia-volta do PT ocorreu depois da convenção do PSB. Uma convenção que contou com a participação do ministro Pimentel e do deputado federal Miguel Corrêa, o nome que o petismo indicara para vice de Lacerda há escassos 20 dias.

Para justificar o súbito rompimento, o PT alegou que o PSB descumpriu um acordo. Estava combinado que a aliança seria estendida à chapa de vereadores. Deu-se, porém, coisa diversas.

O PSB decidiu compor sua chapa proporcional, com os candidatos à Câmara Municipal, sozinho. A coisa foi comunicada ao PT, que se encontrava reunido. A novidade foi recebida com gritos de "traidor". Também reunido em convenção, o PSDB confirmou o apoio a Lacerda. E soltou rojões pelo distanciamento do PT.

O rififi mineiro ocorre nas pegadas da declaração de guerra que o PSB dirigiu ao PT na praça de Recife. Ali, o governador Pernambucano Eduardo Campos, que preside o do PSB federal, decidiu lançar à prefeitura um nome próprio, Geraldo Júlio. Com isso, tornou-se antagonista do senador Humberto Costa, o candidato do PT.

Nos dois casos, há um quê de 2014 nas desavenças de 2012. Em Recife, move-se o projeto presidencial alternativo de Eduardo Campos. Em Belo Horizonte, movimenta-se a candidatura ao Planalto de Aécio Neves. No caminho de ambos, está o PT.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.