PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

Sérgio Cabral quer tornar-se ministro de Dilma

Josias de Souza

16/10/2012 05h51

O governador do Rio, Sérgio Cabral, fez chegar a Dilma Rousseff uma pretensão: deseja tornar-se ministro. A pasta de sua preferência é a de Minas e Energia, de cujo organograma pende a Petrobras.

Deve-se a revelação aos repórteres Caio Junqueira, Raquel Ulhôa e Paola de Moura. Em notícia veiculada no Valor, a tróica informa que o desejo de Cabral está associado ao plano de dar visibilidade ao seu vice.

Na certidão de nascimento, chama-se Luiz Fernando de Souza. Na política, seu apelido é Pezão. Cabral quer fazer dele seu sucessor, em 2014. Para potencializar suas chances, cogita transferir-lhe a cadeira de governador antes da hora. Um convite de Dilma ofereceria o pretexto.

Toda essa movimentação vem à luz nas pegadas de outra notícia surpreendente. No final de semana, o prefeito carioca Eduardo Paes irritara o PMDB de Michel Temer ao lançar Cabral para vice da chapa reeleitoral de Dilma.

Agora, descobre-se que o governador cobiça a pasta comandada por Edison Lobão, do PMDB de José Sarney. Cabral e seu grupo ainda não se deram conta. Mas estão afrontando um princípio básico: política é como fotografia. Se mexe muito, não sai.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.