Blog do Josias de Souza

Problema de saúde de Sérgio Guerra antecipa debate sobre a renovação da cúpula do PSDB

Josias de Souza

O PSDB atravessa uma fase de ebulição. Problemas de saúde distanciaram o presidente Sérgio Guerra da rotina partidária. O vice-presidente Alberto Goldman não se considera liberado para tocar a legenda. O presidente de honra Fernando Henrique Cardoso cobra “renovação” de métodos e, sobretudo, de ideias. Senadores e deputados concordam. Mas a comissão Executiva, sem comando, retarda as deliberações que poderiam levar à mudança de rumos.

A atmosfera de abulia provocou no tucanato um incômodo que precipita o debate interno sobre a troca de comando do partido. A eleição de novos dirigentes –presidente, Executiva e diretório— está marcada para maio de 2013. Com mais de seis meses de antecedência, volta à cena a perspectiva de divisão interna entre os partidários do projeto presidencial de Aécio Neves e seus contrários, à frente José Serra, que acaba de ser batido na disputa municipal de São Paulo.

Tudo isso num instante em que outros partidos já viraram a página de 2012, fixando-se na preparação de 2014. Pior: afora o favoritismo exibido por Dilma Rousseff, Aécio já não frequenta o noticiário como única alternativa à recondução da presidente do PT. Divide as manchetes com o emergente Eduardo Campos, governador de Pernambuco e presidente do PSB.

O organismo do deputado Sérgio Guerra (PE) começou a claudicar no início do mês passado. Após um mal-estar de dois dias, internou-se num hospital de Recife em 6 de outubro. Informou-se que sofrera uma gastroenterite aguda, seguida de desidratação e insuficiência renal. Recebeu alta hospitalar seis dias depois.

Em 16 de outubro, levou ao Twitter uma nota tranquilizadora: “Agradeço a todos pelas mensagens de carinho e de recuperação. Chego a Brasília hoje e, amanhã,  retomo minha rotina de trabalho no PSDB.” Uma semana depois, voltaria a internar-se, dessa vez em São Paulo, no Hospital Sírio-Libanês. Desceu à mesa de cirurgias para a extração de dois nódulos –um na cabeça e outro no pulmão. Feitas as análises, foi diagnosticado com câncer. Desde então, dedica-se ao tratamento.

Guerra não é um paciente convencional. Fez aniversário de 65 anos nesta sexta (9). Diabético, perdeu um rim aos 12. Há cerca de quatro anos, extraíra parte do intestino delgado. É natural que se preocupe mais com a própria saúde do que com a higidez do PSDB. O deputado é aliado de Aécio. O vice Alberto Goldman é do grupo de Serra. Não há na legenda nomes naturais à sucessão da dupla na eleição marcada para maio.

– Ilustração via Miran Cartum.