Blog do Josias de Souza

Julgamento do mensalão termina em ‘barraco’

Josias de Souza

O julgamento do mensalão, o mais longo da história do STF –53 sessões, realizadas ao longo de quatro meses e meio— terminou como começou: em barraco. Antes de dar por encerrado o trabalho, o relator Joaquim Barbosa rendeu homenagens aos seus colaboradores.

“Não poderia deixar de fazer uma breve alusão às pessoas que colaboraram comigo ao longo desses 7 anos e meio. Desde agosto de 2005, foi uma longa jornada”, disse. Quando começou a citar os nomes, Marco Aurélio Mello interveio: “Não cabe o registro, principalmente em ata do plenário.” E Barbosa: “Onde está a proibição?”

Marco Aurélio invovou a tradição: “Isso nunca houve no tribunal…” Barbosa invocou o “inusitado” do caso para justificar a exceção. E o colega: “Prefiro não tratar esse caso como inusitado.” O relator não se deu por achado. Abespinhado, Marco Aurélio pediu licença e retirou-se do plenario.