PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

Governo teme que judicialização de royalties atrapalhe as licitações de jazidas petrolíferas

Josias de Souza

25/12/2012 19h02

Há males que vêm para o pior. O governo programou para abril –o mais tardar maio— a retomada das licitações de jazidas de petróleo. Receia, porém, que a guerra dos royalties envenene a iniciativa. Caindo os vetos de Dilma no Congresso, como parece provável, o governador Sérgio Cabral, do Rio, irá ao STF.

Um ministro de Dilma Rousseff que costuma dividir a mesa com empresários vaticina: "O capital é medroso. Essa previsível judicialização e a insegurança quanto às regras vão afugentar os investidores."

Ninguém afirmou ainda, talvez por compaixão, mas Dilma deve essa encrenca a Lula. Com suas trombetas, o ex-soberano passou a prefeitos e governadores a impressão de que o pré-sal faria do Brasil um Éden instantâneo. O óleo viraria mel e as caixas de Estados e municípios seriam lambuzada$. Agora, fica difícil convencer o rebanho de que o paraíso só virá lá para 2018.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.