PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

Mantega já é visto como personagem de piada

Josias de Souza

25/12/2012 20h06

Um grande exportador de São Paulo tocou o telefone para uma autoridade do governo para desejar-lhe 'boas festas'. Em retribuição, ouviu votos de "um 2013 repleto de investimentos". Levou o amigo na brincadeira. Disse ter lido que Guido Mantega prevê um PIB de 4% para o penúltimo ano do mandato de Dilma. E comparou o ministro da Fazenda a um instrutor de pára-quedismo de piada de português.

No início de cada ano, a dois mil metros de altura, Mantega passa as instruções. Avisa que o equipamento foi todo checado. Assegura que, puxando-se a primeira cordinha, o pára-quedas se abrirá. Diz que se isso não acontecer, o que é pouquíssimo provável, basta puxar a segunda cordinha. Se ainda assim o equipamento não abrir, o que é improbabilíssimo, deve-se puxar a terceira condinha. E lá embaixo haverá um jipe à espera do saltador.

Os joaquins que acreditam pulam do avião. Puxam a primeira cordinha. Nada. Puxam a segunda. Não funciona. Puxam a terceira. Necas. Em desespero, acionam o rádio e gritam por socorro. Preocupado, o instrutor exclama: 'Ai, Jesus. Agora só falta o jipe não estar lá embaixo!'

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.