PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

Gleisi e a CPI da Petrobras: problema do Lobão

Josias de Souza

24/05/2013 17h33

Alcançada pelos repórteres numa solenidade do governo petista do DF, a ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) foi questionada sobre o pedido de abertura de uma CPI para investigar a Petrobras na Câmara. Cuidou de chutar para longe a macumba: "O ministro Lobão está acompanhando esse tema."

Edison Lobão tem duas razões para acompanhar esse tema. Apadrinhado de José Sarney, ele supostamente comanda a pasta de Minas e Energia, de cujo organograma pende a Petrobras. De resto, deve-se ao PMDB, partido de Lobão, o surgimento do pedido de CPI.

Quem observa o requerimento protocolado na Câmara impressiona-se com a quantidade subscritores governistas. Das 199 assinaturas, 52 são de deputados do PMDB, 26 do PP, 13 do PSC, 9 do PR e do PTB, 3 do PDT, 3 do PSD, 2 do PSB, 1 do PRB e 1 do PCdoB.

Fica evidente que desandou a receita política da cozinha do Planalto. Nessa cena, Gleisi aparece ao lado do caldeirão. Lobão está dentro dele. A CPI? Ninguém acompanha adequadamente o tema. Até aqui, o pessoal que acha que governa o país discordava nos detalhes. Agora, a turma já não consegue se entender no essencial.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.