PUBLICIDADE
Topo

Barroso também é contra Constituinte exclusiva

Josias de Souza

25/06/2013 03h35

Último ministro indicado por Dilma Rousseff para o STF, Luís Roberto Barroso se opõe à ideia da presidente de convocar uma Constituinte para fazer a reforma  política. Ele esclareceu seu ponto de vista numa entrevista ao site Migalhas. Coisa de 2011 (repare no vídeo).

"Não é possível", afirmou. "A teoria constitucional não conseguiria explicar uma Constituinte parcial. A ideia de Poder Constituinte é a de um poder soberano. Um poder que não deve o seu fundamento de legitimidade a nenhum poder que não a si próprio e à soberania popular que o impulsionou. De modo que ninguém pode convocar um Poder Constituinte e estabelecer previamente qual é a agenda desse Poder Constituinte. O Poder Constituinte não tem agenda pré-fixada."

Barroso assume nesta quarta (26) a cadeira do ex-ministro Carlos Aures Britto, que se aposentou. A opinião do ministro sobre a Constituinte exclusiva coincide com a de vários dos seus novos colegas. Conforme divulgado aqui na noite passada, também o vice-presidente Michel Temer discorda da proposta de Dilma.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.

Josias de Souza