PUBLICIDADE
Topo

Barbosa diz a colega que pode se desligar do STF: ‘Já está de bom tamanho’

Josias de Souza

08/02/2014 21h29

Sérgio Lima/Folha

Primeiro ministro indicado para o STF na era Lula, Joaquim Barbosa enverga a toga há 11 anos. Já emite sinais de enfado. Em dezembro de 2013, na última sessão judiciária do ano, o relator do mensalão travou com o colega Marco Aurélio Mello um diálogo revelador. Em entrevista veiculada na última edição da revista Veja, o repórter perguntou a Marco Aurélio: "O senhor acha que Joaquim Barbosa deixará o Supremo para se candidatar a presidente da República?

Eis a resposta de Marco Aurélio: "Eu acho que ele não deveria sair do Supremo. Mas eu o vejo um pouco cansado do dia a dia do Judiciário. Posso cometer uma inconfidência porque ele não me pediu que guardasse reserva. Ao entrar para a sessão final do ano Judiciário de 2013, ele me disse que já estava participando de uma sessão daquela pela 11ª vez. E afirmou que para ele já estava de bom tamanho. Eu respondi que estava entrando pela 24ª vez e não estava cansado nem insatisfeito. Por aqui se ventila muito que ele estaria para sair para se candidatar. Que ele seja feliz na nova seara."

Em evento público ocorrido em 14 de outubro de 2013, Barbosa foi inquirido sobre a hipótese de disputar o Planalto. Declarou o seguinte: "Sempre tive uma carreira técnica. No dia em que deixar o Supremo, como entrei muito jovem, eu terei ainda tempo para refletir sobre isso. Acho difícil exercer a carreira no Supremo até os 70 anos. Eu não tenho no momento nenhuma intenção de me lançar candidato à Presidência da República. Pode ser que no futuro surja o interesse."

Tomado pela idade, 59, Barbosa teria mais 11 anos de STF. Seu mandato na presidência do tribunal vai até novembro próximo. Surgindo o "interesse", ele terá de pendurar a toga e se filiar a um partido até abril.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.

Josias de Souza