Topo
Blog do Josias

Blog do Josias

Aécio sinaliza que fará oposição de estilo petista

Josias de Souza

05/11/2014 18h22

Aécio Neves fez da tribuna do Senado, nesta quarta-feira, um pronunciamento muito parecido com um grito de guerra. Se 10% do vapor de suas palavras virar energia, haverá na praça um PSDB diferente. Antes da campanha presidencial de 2014, a oposição tucana parecia capaz de tudo, menos de se opor. Aécio indica que isso mudou.

"Ainda que por uma pequena margem, o desejo da maioria dos brasileiros foi que nos mantivéssemos na oposição. E é isso que faremos", discursou o senador. "Com o ânimo redobrado, conectados com o sentimento de metade do país, que temos hoje a responsabilidade de representar."

Aécio adjetivou a oposição que planeja liderar: "Faremos uma oposição incansável, inquebrantável, intransigente na defesa dos interesses dos brasileiros. Vamos fiscalizar, vamos acompanhar, vamos cobrar, vamos denunciar, vamos combater sem tréguas a corrupção que se instalou no governo brasileiro."

O orador deixou pendurada no ar a mão estendida da presidente reeleita: "Agora, os que foram intolerantes durante 12 anos falam em diálogo. Pois bem, qualquer diálogo está condicionado ao envio de propostas que atendam aos interesses dos brasileiros. E, principalmente —e chamo a atenção desta Casa e dos brasileiros para o que vou dizer—, qualquer diálogo tem que estar condicionado especialmente ao aprofundamento das investigações e exemplares punições àqueles que protagonizaram o maior escândalo de corrupção da história desse país, já conhecido como petrolão."

Horas antes do pronunciamento de Aécio no Senado, Dilma discursara para a cúpula do PSD de Gilberto Kassab no vizinho Palácio do Planalto. A presidente dissera que, apesar de ter sido reeleita, tem a noção de que seu governo terá de propor mudanças e reformas. Não há, por ora, clareza quanto ao que será alterado sob Dilma 2. Porém…

Uma mudança a presidente já conseguiu produzir: com sua campanha de estilo, digamos, tratoral Dilma ensinou ao PSDB que, numa democracia, o papel da oposição é o de se opor. Beneficiado pelo início da exposição das contradições da ex-candidata Dilma e da erosão de sua política econômica, Aécio sinaliza que se oporá ao governo petista com um rigor semelhante ao que o PT empregava ao guerrear contra as administrações tucanas de Fernando Henrique Cardoso.

Na virada da ditadura para a democracia, Tancredo Neves prevaleceu na eleição indireta do colégio eleitoral porque personificava o desejo de acabar com um regime militar de 20 anos. Neto de Tancredo, Aécio Neves apresenta-se como candidato a encarnar o fim de uma hegemonia democrática que vai durar pelo menos 16 anos. Poderia jogar parado. A cada má notícia, gritaria para os refletores: "Eu avisei!". Mas exibe disposição de molhar a camisa, correndo todo o campo. Dispõe de quatro anos para provar que tem o fôlego de um líder genuíno.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor