PUBLICIDADE
Topo

Temer criará grupo executivo para gerir concessões inspirado no governo JK

Josias de Souza

27/04/2016 15h41

Wellington Moreira Franco comandará grupo executivo dedicado a acelerar programa de concessões

O primeiro escalão do provável governo de Michel Temer terá uma novidade inspirada no governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961). Trata-se de um grupo executivo, cuja atribuição será gerenciar todas as privatizações e concessões de obras públicas da União. O novo orgão será vinculado à Presidência da República. E, conforme já noticiado aqui na terça-feira (26), será chefiado por Wellington Moreira Franco.

Em campanha, JK lançou o célebre slogan "50 anos em 5". Ao tomar posse, em 1956, o novo governo criou um conselho de desenvolvimento para implementar um conjunto de metas. Vinculavam-se a esse conselho grupos executivos com a atribuição de tirar as metas do papel. Entre eles, por exemplo, o GEIA, Grupo Executivo da Indústria Automobilística, que abriu as portas para a entrada das montadoras que se instalaram no ABC paulista, berço político de Lula.

Ao criar um grupo nos mesmos moldes, Temer deseja sinalizar para o mercado a intenção de dar velocidade ao programa de concessões de grandes obras de infraestrutura. Nessa área, a gestão Dilma teve um comportamento errático. Concedeu a empresas privadas a gestão de alguns dos maiores aeroportos do país. Mas enfiou uma participação de 49% da Infraero no capital das operadoras. Por ironia, Moreira Franco foi ministro da Aviação Civil nessa época.

Dilma estendeu a política de concessões a outros setores asfixiados por gargalos de logística: rodovias, ferrovias e portos. No entando, perdeu-se num vaivém de regras que espantou os investidores e deu ao processo de concessões um ritmo de tartaruga manca. Daí a prioridade que Temer decidiu dar ao tema. Supondo-se que o Senado aprovará o afastamento de Dilma, o tempo dirá se vai funcionar.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.

Josias de Souza