PUBLICIDADE
Topo

Josias de Souza

Staff político de Temer é 100% feito de encrenca

Josias de Souza

03/07/2017 18h50

As estatísticas comprovam que o sucesso do governo de Michel Temer tornou-se uma inviabilidade matemática. Noves fora o fato de que o próprio presidente foi denunciado por corrupção, seu staff político é 100% feito de encrencados —50% dos operadores de Temer estão presos. Os outros 50%, protegidos pelo escudo do foro privilegiado, aguardam na fila.

Detido nesta segunda-feira, o ex-ministro Geddel Vieira Lima passou a integrar a ala dos amigos do presidente que trocaram os jantares do Jaburu pela quentinha da cadeia. Antes dele foram encarcerados dois ex-presidentes da Câmara: Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves. Ex-assessor de Temer, Rodrigo Rocha Loures, o homem da mala, também amargou seus dias de quentinha antes de migrar, no último final de semana, para a prisão domiciliar.

Agarrados ao foro especial do Supremo Tribunal Federal estão o senador e ex-ministro Romero Jucá e os ainda ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) e Eliseu Padilha (Casa Civil).

Cercado de suspeição por todos os lados, Temer assegura ao país que sua presidência é uma ilha de moralidade. Flutuam ao redor Geddel, Cunha, Alves, Jucá, Moreira, Padilha e um enorme etcétera de aliados. Shakespeare devia estar pensando nisso quando disse: "Não há o que ecolher num saco de batatas podres."

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.