Blog do Josias de Souza

PMDB suspende deputados do bloco anti-Temer

Josias de Souza

O PMDB, partido de Michel Temer, decidiu punir os deputados que votaram na Câmara a favor do prosseguimento da denúncia em que o presidente é acusado de corrupção. Os rebeldes foram suspensos de suas atividades partidárias por dois meses. A decisão veio à luz por meio de uma nota divulgada pelo presidente da legenda, senador Romero Jucá (RR).

O texto não cita os seis deputados da banda anti-Temer do PMDB. São eles: Jarbas Vasconcelos (PE), Sergio Zveiter (RJ), Celso Pansera (RJ), Laura Carneiro (RJ), Veneziano Vital do Rêgo (PB) e Vitor Valim (CE).

Enxuta, a nota de Jucá diz o seguinte: “O PMDB, em cumprimento à decisão unânime da Comissão Executiva do partido, suspendeu por 60 dias, de suas funções partidárias, os deputados que votaram a favor da denúncia do presidente da República, Michel Temer. Esta decisão foi tomada por descumprimento dos parlamentares ao fechamento de questão sobre o assunto em reunião realizada no dia 12 de julho, em Brasília. O ato de suspensão ja foi comunicado a todos os filiados e ao Conselho de Ética do partido.”

Não é nada, não é nada, a decisão do PMDB não é nada mesmo. O partido acenava com punição mais draconiana. Chegou-se a ameaçar de expulsão o deputado Sergio Zveiter, autor do voto que recomendava a concessão de autorização da Câmara para que o Supremo Tribunal Federal julgasse a denúncia contra Temer. A peça foi derrubada pela tropa governista na Comissão de Constituição e Justiça.

Na prática, o castigo da suspensão é simbólico. Para dissidentes como Jarbas Vasconcelos, chega a ser inócuo, pois o personagem exerce o mandato parlamentar completamente à margem do partido. Os dissidentes que possuem apadrinhados aboletados em cargos públicos podem sofrer um pouco mais. O Planalto acena com a hipótese substituir os indicados pelos infiéis por prepostos de deputados leais ao presidente. A ver.