Blog do Josias de Souza

Se 87% querem honestidade, por que há lama?

Josias de Souza

O Ibope foi às ruas para tirar retratos da sociedade brasileira. Juntas, as imagens compõem o pensamento do eleitorado que irá às urnas em outubro de 2018. Uma das fotografias revela o apreço do eleitor por valores morais. A grossa maioria considera importante o candidato “ser honesto e não mentir em campanha” (87%), além de “nunca ter se envolvido com corrupção” (84%).

Considerando-se que presidentes, governadores, senadores e deputados não surgem por geração espontânea, o eleitor terá de tomar uma atitude em 2018. A fome de limpeza existe porque a desonestidade e a mentira atingiram patamares inéditos. Não é mais tolerável que o dono do voto se mantenha exilado no conforto de sua omissão política.

Admita-se que ficou difícil distinguir bandidos de mocinhos depois que a política virou um outro ramo do crime organizado. Mas a tarefa não é impossível. Na Idade Mídia, marcada pela onipresença da internet, as informações estão à disposição.

Ou o eleitor respeita a urna ou continuará fazendo papel de bobo. Se der errado, não adiantará perguntar depois: “Se 87% querem honestidade, por que ainda há tanta lama?” A resposta estará no reflexo do espelho.