Topo
Blog do Josias

Blog do Josias

Lava Jato apoia conversão de Moro em ministro

Josias de Souza

01/11/2018 03h43

Integrantes da força-tarefa da Lava Jato enxergam com simpatia a conversão de Sergio Moro em ministro da Justiça. Acreditam que, transferindo-se para Brasília, o juiz pode colocar o seu prestígio a serviço de uma articulação para aprovar reformas legislativas capazes de fortalecer o combate à corrupção.

É consensual entre os procuradores a avaliação de que a Lava Jato perderia tração sem a presença de Moro. Mesmo que exibisse a mesma qualificação técnica, o substituto começaria do zero. E não teria o prestígio de Moro. Apesar disso, não há críticas à decisão do magistrado de se reunir com Jair Bolsonaro. Ao contrário, as palavras são de apoio.

Na expressão de um dos membros da força-tarefa, é preciso "olhar para além da Lava Jato". A investigação que desbaratou a quadrilha do petrolão é vista como "ponto fora da curva." Prendeu gente que se imaginava acima da lei. Mas "a engrenagem que favorece a impunidade ainda não foi desmontada", sustenta o procurador ouvido pelo blog.

Nessa linha de raciocínio, o aperfeiçoamento da legislação tornou-se prioritário. Deseja-se aprovar no Congresso pacote com 70 medidas anticorrupção. Coisa elaborada pela Fundação Getúlio Vargas e a Transparência Internacional. As mudanças cristalizariam avanços obtidos na Lava Jato, preparando o terreno para o surgimento de operações semelhantes no futuro. Imagina-se que, no comando de um superministério da Justiça, Moro teria autoridade para liderar a transformação.

De resto, os procuradores da Lava Jato tratam a provável transferência de Moro como uma espécie de rito de passagem que o levará da Esplanada dos Ministérios para o Supremo Tribunal Federal. Ali, estima-se que a atuação do magistrado pode ser ainda mais relevante para o esforço anticorrupção.

A equipe da Lava Jato dá de ombros para as críticas do petismo, deflagradas antes mesmo de qualquer confirmação sobre o futuro de Moro. Para os procuradores, trata-se de mais do mesmo. Nada que transforme em apoiadores os críticos da Lava Jato. Ou os críticos em aliados.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.