Topo
Blog do Josias

Blog do Josias

Governo ainda não dispõe de votos para reformas

Josias de Souza

02/01/2019 20h30

O governo de Jair Bolsonaro convive com um paradoxo na largada: sua ambição reformista é bem maior do que a sua base congressual. Nas cerimônias de transmissão de cargos dos ministros que saem para os que chegam, os dois principais ministros do capitão –Paulo Guedes, da Economia, e Sergio Moro, da Justiça— expuseram planos ambiciosos. E a ambição de ambos contrasta com a miserabilidade da articulação legislativa do Planalto.

Para aprovar emendas à Constituição, como a que trata da reforma da Previdência ou da prisão de condenados em segunda instância, o governo de Bolsonaro precisa colecionar pelo menos 308 dos 513 votos disponíveis na Câmara e 49 dos 81 existentes no Senado. No momento, o capitão não dispõe dessa infantaria no Legislativo.

Numa conta redonda, os operadores políticos de Bolsonaro estimam que o Planalto dispõe dos votos de 250 deputados e 40 senadores. Para atingir o quórum mágico, faltariam pelo menos mais 58 votos na Câmara e nove no Senado. E essas estatísticas são otimistas. A quiromancia oficial tem dificuldades para ler as mãos dos novos parlamentares que chegarão ao Congresso apenas em fevereiro.

A novidade nessa matéria é que a ficha do governo começou a cair. O PSL fechou um acordo com Rodrigo Maia. Em troca do comando de comissões importantes, o partido de Bolsonaro apoiará a reeleição de Maia, favorito na briga pela Presidência da Câmara. O acerto tem cheiro de rendição. Depois de fazer declarações públicas de desapreço por Maia, a dinastia Bolsonaro —o pai e os filhos— começa aprender uma lição: em política, você não deve estar tão próximo que amanhã não possa estar distante, nem tão distante que amanhã não possa se aproximar. Quem ensina é o mestre Ulysses Guimarães.

Sobre o Autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o Blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.