Topo
Blog do Josias

Blog do Josias

Planalto festeja rendição ao centrão como vitória

Josias de Souza

2023-04-20T19:16:06

23/04/2019 16h06

Relator da reforma da Previdência, Marcelo Pontes (PSL-MG) modificou seu texto por exigência do centrão

O Planalto celebra como vitória uma rendição ao centrão. Para retirar a reforma da Previdência do atoleiro da CCJ, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o governo fez dois movimentos que abominava. Num, sob holofotes, cedeu ajustes de mérito numa fase em que estava em jogo apenas a análise sobre o enquadramento da proposta na moldura da Constituição. Noutro, longe dos refletores, reabriu o balcão, acenando com a perspectiva de oferecer cargos graúdos.

A reforma previdenciária foi levada por Jair Bolsonaro à Câmara em 20 de fevereiro. O estágio da CCJ é o mais simples de todo o processo legislativo. Em condições ideais, estaria resolvido em duas semanas. Já lá se vão mais de dois meses. Numa aliança com a bancada oposicionista, o centrão (PR, PP, Solidariedade, PTB e adjacências) deu uma canseira no goveno, complicando o que seria simples.

Ao negociar agora o que dizia ser inegociável, o Planalto encareceu a conta. Pior: fez por pressão o que se recusou a fazer por opção. O Ministério da Economia pondera que não cedeu, por ora, nada que possa afetar a pretendida meta da reforma: ajuste de mais de R$ 1 trilhão em dez anos. É verdade. Entretanto, ficou claro que essa cifra corre riscos na próxima fase.

Confirmando-se o fim do drama da CCJ (a sessão ainda da está em curso), a Câmara iniciará a discussão sobre o mérito da reforma, numa comissão especial. O Planalto chega a esse estágio com a faca do centrão na sua jugular. Seu êxito está claramente condicionado à capacidade de saciar os apetites do centrão.

Bolsonaro encontra-se em situação análoga à do rei Pirro, o personagem que obteve um triunfo com sabor de derrota ao prevalecer sobre os romanos na célebre batalha de Ásculo. Ao contabilizar as baixas que amargou em seu Exército, Pirro exclamou: "Se havemos de vencer assim os romanos mais uma vez, estaremos perdidos." O capitão teve sobre o centrão uma vitória de Pirro.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.