Topo
Blog do Josias

Blog do Josias

Recuperação da Odebrecht premia corruptores

Josias de Souza

2018-06-20T19:21:23

18/06/2019 21h23

O processo de recuperação judicial conduziu a Odebrecht a um novo patamar. Estava no abismo. E atingiu o subsolo do precipício. Quanto mais afunda, mais criativa fica a empreiteira. Depois de inventar o Departamento de Propinas, criou uma espécie de pró-bandalheira, programa interno para premiar proprietários e ex-executivos que estrelaram a Lava Jato como corruptos confessos.

No pedido de recuperação que protocolou na Justiça para tentar fugir da falência, a Odebrecht esmiuçou sua dívida estratosférica de quase R$ 100 bilhões. Incluiu na fila de credores, veja você, os ex-executivos que admitiram em acordos de delação ter praticado grossa corrupção. A empreiteira pode até quebrar. Mas planeja forrar os bolsos dos seus corruptos.

O patriarca Emilio Odebrecht, por exemplo, considera-se credor de R$ 81,4 milhões, entre garantias, incentivos e créditos. O príncipe Marcelo Odebrecht, em prisão domiciliar, espera receber R$ 16,2 milhões. Hilberto Mascarenhas, um dos chefes do setor de propinas, dispõe de créditos de R$ 24,6 milhões. Benedicto Barbosa tem R$ 14,4 milhões. Claudio Melo Filho, R$ 8,9 milhões. E a lista continua…

Em maio de 2015, Emílio Odebrecht anotou num artigo: "A corrupção é problema grave e deve ser tratado com respeito à lei […], mas é fundamental que a energia da nação […] seja canalizada para o debate do que precisamos fazer para mudar o país." Nessa época, Marcelo Odebrecht, preso em Curitiba, dizia, estalando de pureza moral, que não seria delator porque não tinha o que delatar. Deu no que está dando. No subsolo do abismo, a turma da Odebrecht já não quer salvar a nação. Contenta-se em salvar os próprios bolsos.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.