Topo

Bolsonaro se aborrece com tom de Rodrigo Maia

Josias de Souza

15/07/2019 22h46

Foi deflagrada em Brasília uma guerra de egos. Em privado, Jair Bolsonaro emite sinais de descontentamento com o tom utilizado por Rodrigo Maia em suas manifestações mais recentes. O presidente da Câmara trombeteia a tese segundo a qual a reforma da Previdência avança no Congresso apesar de Bolsonaro e do seu  governo. Maia repete, de resto, que o governo não tem agenda e não pensa nos mais pobres.

Neste início de semana, ao discursar numa sessão solene na Câmara, Bolsonaro soou enigmático a certa altura. Disse que, nesses momentos de temperatura alta, gostaria de estar na Câmara para dar sua opinião. Sem citar nomes, Bolsonaro lamentou: "Pela função que ocupo, obviamente, tenho que me calar."

Nesse presidencialismo sem coalizão inaugurado por Bolsonaro, a tensão entre Legislativo e Executivo será permanente. A voltagem tende a se elevar. Rodrigo Maia diz que o Congresso deve aprovar reformas que beneficiam o Estado, como a da Previdência e a tributária. Mas não deve avalizar as privatizações, porque os congressistas não vão encher os cofres de um governo que os maltrata.

Incomoda a Bolsonaro a movimentação dos parlamentares para colocar em pé uma espécie de agenda paralela. O capitão enxerga na iniciativa uma tentativa de invadir atribuições do Executivo. Maia diz que a agenda do Legislativo incluirá reforma tributária, do Estado e até social. Os congressistas comportam-se como se tivessem aprendido a lidar com Bolsonaro. Já não ficam com raiva, ficam com tudo. Esse enredo pode acabar num ciclo promissor de reformas ou num conflito paralisante.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.