Topo
Blog do Josias

Blog do Josias

Prisão de Eike se mistura ao cheiro de orégano

Josias de Souza

08/08/2019 13h55

Considerado pelos católicos como o padroeiro dos desesperados, São Judas Tadeu deve ter inspirado o evangélico Marcelo Bretas na decisão de prender novamente Eike Batista. O retorno de Eike à cadeia não resolve as aflições do núcleo curitibano da Lava Jato. Mas alivia a alma da plateia ao sinalizar que o maior esforço anticorrupção já realizado no país ainda respira.

Mecenas do larápio Sérgio Cabral e sua quadrilha, Eike virou freguês de caderneta da Lava Jato. Em 2017, amargou dois meses de cana. Libertado pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo, recorria em liberdade contra uma condenação de 30 anos de prisão. São grandes as chances de que ganhe o meio-fio rapidamente. Mas o retorno à hospedaria de Bangu, ainda que breve, será ótimo enquanto dure.

A iniciativa de Bretas, que determinou também o bloqueio de bens de Eike e seus filhos até o limite de R$ 1,6 bilhão, chega num instante delicado. Um momento em que o conta-gotas que pinga mensagens tóxicas sobre as reputações do ex-magistrado Sergio Moro e dos procuradores da força-tarefa de Curitiba, especialmente Deltan Dallagnol, deixa assanhados os delinquentes.

Larápios graúdos voltaram a sonhar com uma grande pizza. Em meio ao cheiro de orégano, a nova passagem de Eike por Bangu serve para lembrar ao país que o gavetão da corrupção, ainda abarrotado, não pode acabar num forno.

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.