Mais informação com menos tempo de leitura
Topo
Blog do Josias

Blog do Josias

Caso Bezerra cobra de Bolsonaro uma definição

Josias de Souza

19/09/2019 19h53

Jair Bolsonaro ainda não percebeu. Mas seu governo vive um desses momentos em que o presidente precisa tomar uma decisão definitiva. O que Bolsonaro definir será o governo dele. Está em curso uma reação da velha oligarquia política contra o esforço anticorrupção deflagrado há cinco anos. Bolsonaro precisa definir de que lado vai ficar. A batida policial na residência e no gabinete do senador Fernando Bezerra, líder de Bolsonaro no Senado, é mais uma evidência de que, no momento, o presidente está do lado errado.

Vale a pena reproduzir dois comentários sintomáticos. O advogado do investigado declarou que "causa estranheza à defesa do senador Fernando Bezerra Coelho que medidas cautelares sejam decretadas em razão de fatos pretéritos […]. A única justificativa do pedido [de busca e apreensão] seria em razão da atuação política e combativa do senador contra determinados interesses dos órgãos de persecução penal." Ou seja, Bezerra acha que a PF se vinga dele porque ele age para domar os órgãos de persecução penal.

Onyx Lorenzoni, o chefe da Casa Civil, declarou que essa "é uma situação relativa a fatos passados", quando Bezerra era "ministro de um governo anterior. Nesse momento, o que o governo tem a fazer é "aguardar. É uma questão individual dele, da vida pregressa dele. Ele vai ter que esclarecer junto às autoridades", disse Onyx. Quer dizer: o Planalto avalia que, nesse momento, o melhor a fazer é lavar as mãos. Mesmo que o resto permaneça sujo.

Onde o governo vê atenuantes não há senão agravantes. Não importa saber que as embrulhadas do senador vêm de outro governo. O mau cheiro era conhecido. E ninguém foge do fedor abraçando um gambá. O pior é que Bezerra não é o único. Há na Esplanada ministros investigados. Há até um ministro condenado por improbidade. Há na casa dos Bolsonaro um filho sob suspeita de peculato e lavagem de dinheiro.

Ao lado de tudo isso há um presidente da República que precisa recitar o CPF e o RG todas as manhãs, ao fazer a barba, para se certificar de que ele é o que diz ser e não o impostor que a conjuntura desnuda.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.