PUBLICIDADE
Topo

Expressão ‘no entanto’ tisna crescimento do PIB

Josias de Souza

03/12/2019 20h49

A economia cresceu 0,6% no penúltimo trimestre do ano (julho, agosto e setembro). O resultado é comparável ao mesmo período de 2012. Ou seja: o crescimento é lento. O PIB está longe de alcançar os patamares pré-recessão.

No momento, o que tisna o desempenho da ecomomia é a expressão "no entanto". O mercado de trabalho melhora. No entanto, 41% da força de trabalho é informal. O consumo das famílias cresce. No entanto, a taxa e investimentos ainda é baixa.

Crescem os investimentos na construção civil. No entanto, os investimentos em infraestrutura permanecem estacionados. Aprovou-se a reforma da Previdência. No entanto, as reformas pós-Previdência não deslancharam. (Veja o comentário abaixo)

Sobre o autor

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista). É coautor do livro ''A História Real'' (Editora Ática, 1994), que revela bastidores da elaboração do Plano Real e da primeira eleição de Fernando Henrique Cardoso à Presidência da República. Em 2011, ganhou o Prêmio Esso de Jornalismo (Regional Sudeste) com a série de reportagens batizada de ''Os Papéis Secretos do Exército''.

Sobre o blog

A diferença entre a política e a politicagem, a distância entre o governo e o ato de governar, o contraste entre o que eles dizem e o que você precisa saber, o paradoxo entre a promessa de luz e o superfaturamento do túnel. Tudo isso com a sua opinião na caixa de comentários.

Josias de Souza